FAYGA OSTROWER


Fayga Ostrower

A intuição e a criação
Toda criação é intuitiva. Mesmo a mais racional, ela é intuitiva. São possibilidades, hipóteses que o ser humano levanta instantaneamente, quer dizer, espontaneamente. E depois... na Artes, evidentemente, a verificação se dá através da própria obra. Na ciência se dá através de hipóteses que poderão ser refeitas ou reanalizadas por outros cientistas par confirmar sua... se são válidas ou não. [quando você está trabalhando, você usa muito da sua...] da intuição. Sim! Porque, é claro que, quanto mais você estuda, quanto mais você sabe artesanalmente  por exeperiencia, digamos que você tenha a experiência do fazer tanto melhor você pode intuir, mas intuir você está intuindo o tempo todo. Porque, na verdade você está imaginando certas coisas. E tem que poder imaginar para depois saber intuir se aquilo que você imaginou está certo ou está errado. Porque há uma distancia muito grande entre a imaginação e o próprio fazer.  E a gente avalia o fazer depois de ter realizado um fato físico. Veja só... o momento mais importante, mais difícil na criação artística é o momento de saber terminar uma obra. Quando é que uma obra está terminada? Quando todos os componentes, estes detalhes que eu estava explicando na própria percepção, tudo isso se encaixa numa ordem que é justa onde tudo se justifica. Os detalhes de cima - as formas, as cores, com as de baixo, tudo se relaciona para um conjunto não só harmonioso, mas expressivo, que tudo tem realmente valor, nada é supérfluo, mas também nada falta. Esse momento você não pode programar, você não pode nem prever. Voce pode perguntar a um artista: quando é que você vai terminar? E ele vai dizer “não sei!” e no momento seguinte ele pode já terminar. Quer dizer, são realmente avaliações que a gente faz o tempo todo que na Arte, evidentemente, se dão num nível da própria linguagem e do próprio conteúdo expressivo e daquilo que a gente quer expressar, mas que na verdade já existem como uma extensão da vida cotidiana. No cotidiano você também está avaliando o tempo todo: se eu estou conversando com você, eu estou vendo não só o seu olhar, eu estou vendo a sua postura, eu estou vendo a de outras pesssoas, eu estou vendo a hora da tarde, a luz da trade, tudo isso faz um conjunto que vai se tornar expressivo prá mim que vai me dizer alguma coisa sobre aquilo que a gente está fazendo nesse momento – se está bom, se está certo, se não está certo, tudo  isto intuitivamente eu estou avaliando e estou sentindo também.

O que é a beleza?
Desde o início você ver uma busca de significados em termos de ordenações, o homem procura ordenar, relacionar de alguma forma, de algum modo pra saber qual é o significado: o que significa isso? E quando essas relações, elas tem um sentido aí é que elas tem a beleza – é a sua própria beleza. A beleza não é o bonitinho, a beleza é essa verdade mais profunda, essa harmonia interior, essa justeza interior, que a gente pode, que a gente descobre, por exemplo nas ordenações da natureza. Essa é uma beleza tão grande! E o fato de o ser humano poder criar beleza ele cria uma dimensão que existe a partir dele, a partir do ser humano.   

A sensualidade da linguagem artística no Brasil
 Eu acho que a gente não olha só com os olhos, eu acho que a gente olha com o corpo todo... e o que eu diria sobre o Brasil, por exemplo, que eu acho um país extraordinário em muitos sentidos e, sobretudo no sentido artístico. Porque o que distingue as linguagens artísticas, digamos, da filosofia ou da matemática, é a sensualidade dessas linguagens você não ouve frequências, você ouve sons... você não vê conceito de ondas longas, de ondas curtas, você vê cores. Essa sensualidade da linguagem, existe, no Brasil... nas pessoas, não só na exuberância da natureza, nas pessoas, à flor da pele, no convívio na maneira de se tratar. Isso é uma coisa muito importante pra visão, também, sentir essa sensualidade é uma parte fundamental das linguagens artísticas. Porque que alguém se apaixona, pela gravura? Ou pela escultura? Ou pela poesia? Ou pela música? Qual é essa paixão? É pela própria sensualidade da matéria. Você quer se aprofundar nas possibilidades dessa matéria, nessa empatia com a matéria. Então, a beleza prá mim, e a visão onde o ser responde com todo o seu ser intelectual, mas também sensível e sensual.     

Texto extraído da entrevista abaixo.



RELEITURA DE OBRAS DE ARTES PROJETO ARTE-ME

Introdução: a ideia inicial
Assim como existem diversas interpretações de uma obra de arte, existem diversas possibilidades de releituras dessa obra (CORES E MATRIZ, 2009). Nesse caso, para se fazer uma releitura está relacionado a ter uma compreensão mais apurada da obra..
Importante: Reler uma obra não é apenas reproduzi-la, exercitar a criatividade. Não devemos nos ater a mesma técnica usada pelo artista na obra original. Nesta perspectiva, este projeto trabalha a percepção do aluno para que ele possa utilizar outras (a que mais se identifica, de preferência) formas de expressão artística, seja: o desenho, a escultura, a fotografia ou a colagem, deixando-o livre para que crie algo novo, mantendo um elo com a fonte que serviu de inspiração. 

Desenvolvimento: a metodologia
O objetivo principal é despertar nos alunos o interesse pelas artes e fazer perceber como ela está presente no nosso dia a dia. O mesmo deverá culminar na exposição das obras produzidas pelos alunos. No primeiro momento o professor levará para a sala exemplos de outras releituras já feitas; fará uma aula expositiva acerca do conceito de releitura de obras, definirá como será feita essa releitura (através de fotografia, escultura, colagem) e estimulará cada aluno a produzir a sua (no caso apresentado abaixo, eu escolhi trabalhar a partir da fotografia). Nesse momento é importante deixar o aluno à vontade para escolher a obra, ou imagem que mais o atrai. No segundo momento o aluno apresentará a imagem escolhida, e uma pesquisa feita a respeito da mesma: autor, contexto histórico e cultural da mesma, técnica usada para sua produção, etc. No terceiro momento, haverá a produção dessa releitura. O professor ficará à vontade para decidir se cada aluno/equipe faz em casa ou se as produções acontecerão em sala. É importante perceber que se a produção necessite de um tempo mais demorado, o professor realize em formato de oficinas e registre o processo de criação também.

Conclusão: a socialização do processo

No quarto momento, deve-se organizar a exposição dos trabalhos e dar um momento para que eles possam expressar tanto o motivo da escolha de cada imagem, quanto como se deu o processo de criação da releitura. Dessa forma exercita-se discussão sobre Arte na Escola, bem como a formação de plateia.  


VEJA, ABAIXO OS TRABALHOS PRODUZIDOS PELOS ALUNOS










PROJETO: VIDA EM OUTONO

Profº: Luka Severo[1]

Introdução: a ideia inicial
O outono é a estação do ano que nos faz lembrar e repensar sobre as passagens que a vida tem. Muitos poetas falam dessa estação como um momento em que deixamos o passado para construir um novo presente e futuro.
Nesta perspectiva esse projeto se debruça em estimular os alunos a pensarem sobre “quem somos e quem seremos depois”. Estas percepções devem ser ilustradas depois de um conversa reflexiva com a turma. Os estudantes devem ficar à vontade para representar como achar que devem.  

Desenvolvimento: a metodologia
O trabalho deve ter como objetivo principal  fazer com que os alunos busquem uma autorreflexão de si e do espaço a sua volta, e estimular a exteriorização dessa percepção. O mesmo deverá culminar com uma exposição de máscaras produzidas pelo grupo. Em um primeiro momento o professor estimula a turma fazendo perguntas do tipo: o que você quer ser quando crescer? Por quê? E se não der certo? Como é sua vida agora?, etc. Esse momento fica a cargo do professor, que em  segundo momento pedirá para que os alunos represente esse seu desejo, ou pensamento da maneira que quiser, através de recorte em /com folhas secas. Nesse momento, pensando sobre a perspectiva de que a folha mesmo depois de ser arrancada da arvore ainda serve para este trabalho – além de adubo natural, poeticamente deve-se estimular o aluno a pensar que a folha servirá para cultivar nossos sonhos e eternizá-lo na obra de arte que em um terceiro momento, deverá ser exposta para para a comunidade acadêmica que poderá apreciar os trabalhos e ter um momento de experiência com a vivência de cada um dos envolvidos no processo. No final em cada trabalho estará a imagem que representa o imaginário individual dos participantes.

Conclusão: a socialização do processo
O trabalho desenvolvido no decorrer do processo criativo, deverá ser apresentado em uma exposição de quadros, apresentado a comunidade escolar, com o intuito de fazer o público, bem como os envolvidos no processo de criação e a percepção de mundo de cada participante.















[1] Luiz Severo Neto Filho: Graduado em Licenciatura Plena em Teatro pela Universidade Regional do Cariri – URCA; / - Pós Graduado em Ensino de Artes: Técnicas e Procedimentos, pela Universidade Cândido Mendes – UCAM-PRÓMINAS; / - Professor Efetivo de Artes da Secretaria de Educação do Município de Iguatu - CE. / - Professor Contratado de Artes no Instituto Randara Melo, Unidade de Iguatu - CE. 

Reflexões de Regiane

Qual o verdadeiro significado de dizer eu te amo?

Muitas pessoas acreditam que amar é o renascer da felicidade, esplendida como uma joia valiosa que se não for moldada na estatura real não chegará a ter valor algum.
Como perceber diante dos olhos a sinceridade que ecoa nos meus pensamentos tentando buscar o sentido do que sempre nos complementa nos fortalece...                       
Apesar de dizer eu te amo, existem momentos em que na busca excessiva de amar preciso me descobrir como um ser que sente o meu peito arder como chamas a procura de um amor que me transforme a cada dia.
Muitos dizem amar, porém não conhece o real sentido do amor. Amor constrói linhas positivas de afeto, desperta esperança em meio a conflitos internos.                       
Busca cessar a tristeza e preencher os espaços vazios com palavras e ações construtivas. É difícil traduzir seu significado quando as pessoas não percebem o seu sentido.                       

Dizer eu te amo vai além do céu e da terra, procura permanecer dentro do peito como uma válvula de escape que impulsa o controle de todos os sentidos... Quando a humanidade se de conta de como é possível amar sem ter nada e troca, que perceber que o amor surge e permanece dentro do coração como riqueza de duas almas incorporadas em um tornando dois corpos em apenas um. Apesar do amor está quase extinto acredito que as mudanças internas só serão possíveis quando realmente descobrimos o valor de amar.

REFLEXÕES DE REGIANE

Meu amor.. .
Muitas vezes procuramos entender de onde aparece tanto receio ou alegrias, sentimentos aos quais se entrelaçam explodindo no peito por um grito de socorro. Nesse momento podemos perceber a intensidade das vibrações que cada batida do nosso coração ecoa num silêncio inexplicável. Cada palavra tem seus significados marcantes da mesma forma que cada ação nos torna capazes de evoluir. Engraçado é entender toda sintonia voltada por pensamentos considerados ocultos que ao perceber vive mais intenso que qualquer outra espécie de vidas
 Assim como seres evoluídos somos o que somos e não há como mudar de fato mais podemos nos tornarmos seres vitoriosos por cada minuto apreciar a vida.                       
Deus traz pra gente novas expectativas a cada momento. Seja ela de construção, reconstrução ou evolução.  Um sorriso não se apaga na dor de uma alma ferida mais se transforma em grande vitória quando se busca auxilio nos braços de quem ama. Não relato amor de prazer entre dois corpos , mais o amor que atravessa anos em anos em busca de cessar seu desejo intenso de se auto completa. Não podemos dizer que os sonhos que buscamos, que cada queda ou cada avanço não houve o resultado esperado. Devemos acredita nas etapas da vida como momentos de reflexão entre o que toleramos e o que precisamos consertar. A vida é assim um palco cheio de mistérios mais também o berço de uma alma.                       

O espetáculo continua todas as noites, todos os dias.... o renascer do sol traz um motivo para sorrir, para suspirar e mostrar que apesar dos meus olhos não poder enxergar os seus , das minhas mãos não te tocar não me impeça de cada dia te sentir mais vivo dentro de mim. Não deixe que os pensamentos afoguem as memórias construídas, pois cada lembrança te manterá cada vez mais sábio, valente e feliz.
AUTOR: Regiane Vieira.

FELIZ DIA DAS MÃES


MINHA ETERNA PAIXÃO
Benício Rios.
Hoje estamos passando para homenagear uma pessoa muuuuuuuito especial. Sabe quem é? É você mesmo, mamãe. Sabe por quê? Por motivos pequenos e gestos bem grandes que só você, mãe, seria capaz de fazer.
Mãe,
Lembra quando sorriu para mim pela primeira vez?
- Me apaixonei: Você foi a primeira mulher da minha vida. Minha paixão.
Quando me colocou nos braços pela primeira vez  eu me senti tão seguro, que se eu pudesse nunca mais sairia dali, mas sempre chegava alguém para me tirar do teu colo, até eu chorar... chorar... e ser devolvido pra você.
Quando eu caí e chorei, foi você que enxugou os meus olhos, e com o seu toque, sarou minhas feridas: e que poder tem esse toque, mamãe.
Aí que eu descobri que além de mãe, você também é minha melhor amiga. Afinal não são para os melhores amigos que contamos nossos segredos? – Lembra de quantos segredos eu te contei, mamãe? Esqueceu né? Porque era segredo... e aí, até pra mim, você faz de conta que não lembra mais.

Obrigado, mamãe, por ser a minha primeira e eterna paixão!